IOSC - Instituto de Olhos Santa Catarina S/S
Responsabilidade Técnica IOSC
Dra. Leda das Neves Almeida Sandrin
CRM 6039 / SC / RQE 1496

Atendimento: 49 . 3323 9000
Siga-nos:

INFORMATIVOS Hospital Dia

Em Chapecó, 575 crianças já contraíram a Covid-19



Em Chapecó, 575 crianças já contraíram a Covid-19

O Coronavírus tem mostrado, cada vez mais, que não escolhe gênero, classe social e nem mesmo idade. Em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, 575 crianças já testaram positivo para Covid-19, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde. Uma bebê de 1 mês e 28 dias e outro de 10 meses morreram, na maior cidade do Oeste, após contrair o vírus.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 165 estão na fase ativa da doença, ou seja, ainda transmitem o vírus. Cinco crianças moradoras de Chapecó estão em internação hospitalar, sendo três recém-nascidos e outras duas com dez anos. 

A médica alergista e imunologista, Dr. Andressa Zanandréa, explica que crianças e adolescentes apresentam quadros, em sua maioria, leves e ou assintomáticos e rara ocorrência de casos graves, como os descritos em crianças que apresentaram a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica. 
Segundo ela, crianças e adolescentes representam um percentual menor de mortes e hospitalizações associadas à Covid-19. A médica cita que no Brasil, no grupo etário de 0 a 19 anos, representando aproximadamente 0,7% do total de mortes associadas à doença.
Ela observa que as hospitalizações de crianças e adolescentes também ocorrem em número substancialmente mais baixo do que entre os adultos, representando em geral aproximadamente 2% a 3% do total de admissões hospitalares atribuídas à Covid-19.

Veja os principais sintomas:

Sintomas em crianças de 0 a 9: febre, tosse e respiração rápida (63%), febre (46%), tosse (37%), respiração rápida (7%), mialgia (10%), rinorreia (13%), cefaleia (15%), náusea e vômito (10%), dor abdominal (7%), diarreia (14%) e perda de olfato ou do paladar (1%).
Sintomas em crianças entre 10 e 19 anos: febre (35%), tosse (41%), respiração rápida (16%), mialgia (30%), rinorreia (8%), cefaleia (42%), náusea e vômito (10%), dor abdominal (8%), diarreia (14%) e perda do olfato ou do paladar (10%).

Quando os casos se agravam?

A médica observa que o quadro mais grave da doença em crianças e adolescentes é a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica que pode ocorrer dias ou semanas após a infecção. E tem ocorrido com mais frequência devido ao aumento rápido de crianças contaminadas no Brasil. Segundo ela, estima-se que a incidência seja em torno de 1/5000 casos de Covid-19, evoluindo em um espectro mais grave da doença.

“Além de febre persistente, ocorrem alterações cardiovasculares, renais, respiratórias, hematológico, gastrointestinais, mucocutâneo, dentre outras. A perda de função pulmonar tem sido uma das principais sequelas da infecção pela Covid-19 em crianças, sendo necessário acompanhamento com médico e fisioterapeuta por longo período”, acrescenta.


Fonte: Dra. Andressa Zanandréa (CRM-21011 / RQE-18441)





ONDE ESTAMOS
Rua São Marcos, 924,
Bairro São Lucas, Chapecó / SC
89812-758

FALE CONOSCO
49 . 3323 9000
contato@iosc-br.com

ATENDIMENTO
Segunda à sexta: 07h30 às 19h.
Sábados: Até as 12h.