IOSC - Instituto de Olhos Santa Catarina S/S
Responsabilidade Técnica IOSC
Dra. Leda das Neves Almeida Sandrin
CRM 6039 / SC / RQE 1496

Horários:

INFORMATIVOS Outras Especialidades

Você sabe oque é Retinoblastoma?



O retinoblastoma é um tipo raro de câncer ocular, mais comum em crianças e responde por 3% dos cânceres infantis, chegando a cerca de 400 casos por ano. Entre 60% e 75% dos casos de retinoblastoma são esporádicos, isto é, uma célula sofre mutação e passa a se multiplicar descontroladamente. Essa forma de retinoblastoma geralmente aparece em crianças com mais de 1 ano de idade. Os demais casos são hereditários e a criança tem uma mutação num gene supressor de tumor que está presente em todas as células de seu corpo.

Geralmente, essa mutação é herdada de um dos pais, embora possa ser também uma mutação nova que comece com o paciente, que vai transmiti-la aos descendentes. Nesses casos, o retinoblastoma se desenvolve no bebê, antes de 1 ano de idade.

Existem três tipos de retinoblastoma:

unilateral: afeta um olho e representa entre 60% e 75% dos casos. Destes, 85% são da forma esporádica da doença, e os demais são casos hereditários.;
bilateral: afeta os dois olhos, quase sempre é hereditário e costuma ser diagnosticado bem mais cedo que o unilateral;
PNET (tumor neuroectodérmico primitivo) ou retinoblastoma trilateral: ocorre quando um tumor associado se forma nas células nervosas primitivas do cérebro. Esse tipo só atinge crianças com retinoblastoma hereditário bilateral.

Diagnóstico:

Todo bebê deve fazer o Teste do Olhinho após o nascimento e repeti-lo com frequência até os 5 anos, faixa etária mais atingida pelo retinoblastoma. O exame é disponibilizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Sintomas:

– “olho de gato”: crianças com retinoblastoma desenvolvem uma área branca e opaca na pupila, que se chama leucocoria, causada pela reflexão da luz provocada pela doença. No Brasil, essa condição é popularmente conhecida como “olho de gato” e é facilmente visível em fotos tiradas com flash. A criança deve ser levada ao oftalmologista tão logo o fenômeno seja identificado, porque, mesmo que não seja um retinoblastoma, isso pode causar a perda da visão;
– problemas na movimentação do olho, como estrabismo;
– redução da visão em um olho;
– dor no olho;
– globo ocular maior que o normal;
– olho preguiçoso (ambliopia).

Tratamento:
Os tumores pequenos podem ser tratados com métodos especiais, como laserterapia e crioterapia, que permitem que a criança continue a enxergar normalmente. Nos casos mais avançados, pode haver a necessidade de retirada do olho (enucleação) e a criança pode precisar de quimioterapia e/ou radioterapia.

A data, instituída pela Lei nº 12.637/2.012, pretende alertar e conscientizar para os sinais da doença, pois, quando diagnosticado precocemente, o retinoblastoma é altamente curável, com a preservação da visão e da vida da criança.
 


O IOSC atende convênios e particular.
Faça seu agendamento aqui:
https://iosc-br.com.br/agendamento/

#IOSCHospital #Retinoblastoma #Chapecó #SantaCatarina #Hospital #News2022


 

Fonte: IOSC Hospital Dia





ONDE ESTAMOS
Rua São Marcos, 924,
Bairro São Lucas, Chapecó / SC
89812-758

FALE CONOSCO
49 . 3323 9000
contato@iosc-br.com

Siga-nos:
ATENDIMENTO
Segunda à sexta: 07h30 às 19h.
Sábados: Até as 12h.

Tecnologia Ideia Good | © Copyright - IOSC Hospital