IOSC - Instituto de Olhos Santa Catarina S/S
Responsabilidade Técnica IOSC
Dra. Leda das Neves Almeida Sandrin
CRM 6039 / SC / RQE 1496

Atendimento: 49 . 3323 9000
Siga-nos:

INFORMATIVOS Neurologia

Vertigem, conheça as causas e saiba como tratar.



"Minha cabeça está rodando, será que eu estou com labirintite?"

Esta é uma das queixas mais frequêntes em consultórios médicos, mas afinal, o que é este sintoma, quais as causas e o tratamento?

A vertigem é um tipo de tontura em que há perda do equilíbrio corporal, com a sensação de que o ambiente ou próprio corpo estão rodando, geralmente, acompanhada por náuseas, vômitos, suor e palidez, podendo também surgir com zumbido ou diminuição da audição.

Na maioria das vezes, a vertigem é causada por doenças relacionadas ao ouvido, chamadas de síndromes vestibulares periféricas, ou popularmente labirintites, que incluem doenças como vertigem posicional paroxística benigna (VPPB), neurite vestibular, doença de Méniere e intoxicação por remédios, por exemplo. Entretanto, também podem surgir devido a uma alteração neurológica mais grave, que incluí AVC, enxaqueca ou tumor cerebral.

As principais causas de vertigem são:

Vertigem Paroxística Posicional Benigna (VPPB): É uma causa mais comum de vertigem, provocada pelo descolamento e movimentação dos otólitos, que são pequenos cristais que se localizam no labirinto e se movem para canais samicirculares do próprio labirinto (ouvido) responsáveis por parte do equilíbrio. A vertigem costuma durar alguns segundos ou minutos, geralmente, desencadeada por alterações na posição da cabeça, como olhar pra cima ou para o lado.

O Seu tratamento se dá através de manobras vestibulares, onde o fisioterapeuta reposiciona os otólitos (cristas) novamente no seu lugar de origem.

Labirintite: Apesar de qualquer vertigem ser conhecida como labirintite, na verdade ela é rara e acontece quando há a inflamação de estruturas do ouvido que forma o labirinto. Doença de Méniere se dá por excesso de líquido nos canais do ouvido, e causa sintomas de vertigem, zumbido, sensação de ouvido cheio e diminuição da audição.

Neurite vestibular: É a segunda maior causa de vertigem. É provocada pela inflamação do nervo da região do ouvido, chamado de nervo vestibular, e causa uma vertigem aguda e intensa. Geralmente, este tipo de neurite é provocada por um vírus, diminuição do fluxo sanguíneo no ouvido interno, exposição a agentes tóxicos, ou substâncias alérgicas que danificam o nervo vestibular.

Labirintopatia metabólica: Pode ocorrer por aumento de insulina, diabetes, hiper ou hipotireoidismo e aumento de colesterol ou triglicerídeos, que pode aliviar com o tratamento destas doenças.

Intoxicação por medicamentos: Certos medicamentos podem ter efeitos tóxicos para regiões do ouvido, como cóclea e vestíbulo, e alguns deles são antibióticos, anti-inflamatórios, diuréticos, antimaláricos, quimioterápicos ou anticonvulsivantes.

Causas neurológicas:  Tumor cerebral, traumatismo crânio-encefálico e AVC são causas neurológicas de vertigem, que costumam cursar de forma mais grave, persistente e sem melhora com o tratamento habitual. Além disso, podem ser acompanhados de outros sinais e sintomas, como dor de cabeça, alteração da visão, diminuição da força muscular e dificuldades na fala.

Tratamento:
O tratamento depende da patologia, pode-se utilizar medicamentos, reabilitação Vestibular e até adequação alimentar.

Reabilitação Vestibular: A Terapia de Reabilitação Vestibular (TRV) é um tratamento complementar, não invasivo, baseado em manobras vestibulares e um grupo de exercícios personalizados que - em conjunto com uso de medicamentos quando indicados, modificações dos hábitos de vida e orientação alimentar - trará resultados a curto e longo prazo no controle postural. Seu fundamento baseia-se na plasticidade neural do sistema nervoso central, com a utilização de mecanismos para o restabelecimento e manutenção do equilíbrio. 

 
Algumas dicas são importantes se você tem vertigem:

- Diminua o consumo de embutidos, eles apresentam alto teor de sódio e isto prejudica o labirinto.
- Diminua os estimulantes como café, refrigerantes com cafeina, chá etc..
- Diminua o consumo de sal e açúcar.
- Consuma fibras e beba bastante água.
- Faça atividade física regular.
- Não use medicamentos sem prescrição.
- A qualquer sinal de vertigem procure um especialista.

O IOSC atende convênios e particular.
Faça seu agendamento aqui. 

#IOSCHospitaDia
#Chapecó #OesteCatarinense

Fonte: IOSC Hospital Dia





ONDE ESTAMOS
Rua São Marcos, 924,
Bairro São Lucas, Chapecó / SC
89812-758

FALE CONOSCO
49 . 3323 9000
contato@iosc-br.com

ATENDIMENTO
Segunda à sexta: 07h30 às 19h.
Sábados: Até as 12h.

Tecnologia Ideia Good | © Copyright - IOSC Hospital